PROJETOS
Órgãos financiadores
Área de Ciencia e Tecnologia:

 


1.CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico): Fundação de fomento à pesquisa, dotada de personalidade jurídica de direito privado, vinculada ao MCT. Sua missão é promover e fomentar o desenvolvimento científico e tecnológico do País e contribuir na formulação das políticas nacionais de ciência e tecnologia, realizando duas atividades básicas: fomento e difusão de ciência e tecnologia.

 


2.FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos): Atua como financiadora do desenvolvimento da Ciência e Tecnologia no País. Apóia todas as etapas do processo inovador: da pesquisa básica à comercialização pioneira de produtos e processos. O foco de atuação da FINEP é o apoio ao desenvolvimento tecnológico e à inovação no País.

 

Área de Desenvolvimento Regional:

 


1.SUDENE (Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste): Quatro grupos de atividades resumem a atuação da Sudene: capacitação técnica e organizacional; informação e documentação; política e programação; execução e coordenação de obras e serviços.

 

2.ADA (Agência de Desenvolvimento da Amazônia): Planeja e promove ações estruturadas que induzam o desenvolvimento eqüitativo e sustentável da Amazônia, bem como a sua integração competitiva nos contextos nacional e internacional, visando à emancipação econômica e social do amazônida.

 

■Área de Regulação:

 


1.ANP (Agência Nacional de Petróleo): Incentiva, através de diversas vertentes, o estímulo a produção científica prevendo investimentos em Pesquisa e Desenvolvimento de novos produtos e processos por parte das empresas concessionárias.

 


2.ANA (Agência Nacional de Águas): Implementa Programas que visam aprimorar continuamente a Política Nacional de Recursos hídricos voltados e garantir a ampliação da oferta de água de boa qualidade.

 


Fundos e Programas Federais:



1.PNPE (Programa Novos Pólos de Exportações): Objetiva desenvolver ações de estímulo e apoio para as áreas mercadológicas e tecnológicas, a setores produtivos selecionados com propensão exportadora, possibilitando, assim um maior engajamento das empresas setoriais, sobretudo as de menor porte, nas atividades de exportação.


2.PROEX (Financiamento às Exportações):Criado em 1991, opera com recursos provenientes do Tesouro Nacional alocados à programação especial das operações oficiais de crédito. Procura financiar exportações brasileiras de bens e serviços nacionais, em condições equivalentes às do mercado internacional. Possui duas modalides de apoio: PROEX Financiamento e PROEX Equalização.

 


3.Proozon (Programa Brasileiro de Eliminação da Produção e do Consumo de Substâncias que destroem a Camada de Ozônio): Objetiva a implementação de uma política nacional, mediante ações articuladas entre o Governo e o setor privado, para a proteção da camada de ozônio, em consonância com o Protocolo de Montreal, apoiando, com recursos do Fundo Multilateral, projetos de conversão de instalações industriais para eliminar ou reduzir o uso de substâncias que destroem a camada de ozônio. Prevê a concessão de recursos, a fundo perdido, para adequação e aquisição de equipamentos/processos, compra e absorção de tecnologia, treinamento, entre outros.

 


4.PMPE (Programa de Apoio às Micro e Pequenas Empresas):Tem como finalidade a implantação, expansão e modernização de microempresas e empresas de pequeno porte não-rurais. Prevê concessão de recursos a microempresas e empresas de pequeno porte não-rurais, brasileiras, de controle nacional.

 


5.FUNDECI/BNB (Fundo de Desenvolvimento Científico e Tecnológico): Criado para apoiar, financeiramente, a execução de pesquisas aplicadas e difusão de tecnologias, apóia empresas de todos os setores produtivos, sem quaisquer restrições. Seu alcance é toda a região Nordeste e o Norte de Minas Gerais. Esse apoio é destinado a pesquisas tecnológicas cujos resultados sejam passíveis de aplicação nos setores produtivos; Centros de Excelência; pesquisas climatológicas e meteorológicas; infra-estrutura de incubadoras/parques tecnológicos e sistemas /redes de informação tecnológica; projetos de aproveitamento de matéria-prima da região.

 


6.PROGEX (Programa de Apoio Tecnológico à Exportação): Tem como finalidade prestar assistência tecnológica às micros e pequenas empresas, inicialmente nos Estados de Minas Gerais, Pernambuco, Paraná, Rio de Janeiro e São Paulo, que queiram se tornar exportadoras ou àquelas que já exportam e desejam melhorar seu desempenho nos mercados externos.

 


7.PRODETAB (Projeto de Apoio ao Desenvolvimento de Tecnologias Agropecuárias para o Brasil): O PRODETAB é um projeto, executado pela Embrapa, com o apoio do Banco Mundial, que disponibiliza recursos para aplicação em pesquisa, desenvolvimento e transferência de tecnologia agropecuária, florestal e agroindustrial.

 


8.FCO (Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste):O Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) tem por objetivo contribuir para o desenvolvimento econômico e social da Região Centro-Oeste, mediante financiamentos direcionados às atividades produtivas, voltados aos setores econômicos industrial, agroindustrial, agropecuário, mineral, turístico, comercial e de serviços.

 

9.FNO (Fundo Constitucional de Financiamento do Norte):Os recursos do FNO são destinados às micro, pequenas, médias e grandes empresas que desenvolvam atividades nos setores mineral, industrial, agroindustrial, turístico, de infra-estrutura, comercial e de serviços. O prazo dos empréstimos podem ser de até 12 anos, incluídos até 3 anos de carência. As pessoas ? físicas ou jurídicas ? interessadas devem dirigir-se a uma agência do Banco da Amazônia S.A (Basa), o agente financeiro do FNO.

 


10.FNE (Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste): Como parte de seu papel de agente financiador, o Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste aplica recursos no setor produtivo e da infra-estrutura sócio-econômica regional.

 


Fundos e Programas Estaduais:

1.FUNDECT/MS (Fundo de Apoio e de Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul): Fundo estadual de natureza constitucional, com a finalidade de promover os meios necessários ao desenvolvimentos das atividades científicas e/ou tecnológicas, financiando a pesquisa, desenvolvimento e demonstração de tecnologia de interesse do Estado.

 


2.FUNDETEG/GO (Fundo Estadual de Ciência e Tecnologia): Criado em 1985 como instrumento de apoio financeiro às entidades do sistema estadual de C&T do estado de Goiás. Objetiva incrementar as atividades científicas e tecnológicas que promovam o desenvolvimento social e econômico do estado.

 


3.PROINPE/GO (Programa de Incentivo a Pesquisa): Fomenta a pesquisa científica e tecnológica, por meio de ações do Governo do Estado, visando o desenvolvimento e a expansão da pesquisa de forma democrática, induzida, integrativa e coerente com os programas finalísticos e com o PPA 2000/2003 de Goiás.

 


4.FUNTEC/PA (Fundo Estadual de Ciência e Tecnologia do Pará): Gerido pela Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Maio Ambiente, apoia o financiamento de programa e projetos de pesquisa e qualificação de recursos humanos, bem como a edição de obras científicas e a realização de eventos de relevância para o desenvolvimento científico e tecnológico do estado.

 


5.FUNCET/SP (Fundo Estadual de Desenvolvimento Científico e Tecnológico): É um fundo contábil, caracterizando-se como um instrumento de apoio às empresas que tenham atividades tecnológicas no estado. A gestão do fundo é efetuada pela Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico, através do Departamento de C&T, e tendo como agente financeiro o Banco do Estado de São Paulo.

 


6.FUNDET/RN (Fundo Estadual de Desenvolvimento Científico e Tecnológico): Fundo de natureza constitucional, atrelado à receita orçamentária do estado e vinculado a Secretaria de Indústria, Comércio, Ciência e Tecnologia. Objetiva apoiar financeiramente programas e projetos de pesquisa e desenvolvimento considerados relevantes pelo Conselho Estadual de C&T.

 


7.FAPESC (Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina): Define políticas, diretrizes e estratégias que tenham o respaldo e o apoio da sociedade catarinense. Tais requisitos básicos estão sendo atendidos pelo Estado e, em especial, pela Administração da FAPESC, em conjunto com seu Conselho Superior.

 

8.FAPEM (Fundo de Amparo à Pesquisa do Estado do Maranhão): Tem por finalidade financiar programas e projetos de pesquisa cooperativa, institucional e individual realizados em instituições públicas, empresas privadas ou entidades resultantes de parcerias entre instituições que desenvolvem pesquisas consideradas relevantes para o Estado.

 


9.Funcitec (Fundo Estadual de Ciência e Tecnologia): O Fundo Estadual de Ciência e Tecnologia – FUNCITEC é administrado pela Fundação de Apoio à Ciência e Tecnologia do Espírito Santo – FAPES e tem por finalidade prestar apoio financeiro a programas e projetos de interesse para o desenvolvimento científico e tecnológico do Estado do Espírito Santo.

 

Fundações:

 

1.FUNAPE (Fundação de Apoio à Pesquisa): Tem por finalidade apoiar as atividades de formação de recursos humanos para a pesquisa, prestação de serviços técnicos e científicos à comunidade, realização e divulgação de trabalhos científicos, culturais e artísticos e a participação no processo de desenvolvimento regional e do País como um todo.

 

2.FAPERP (Fundação de Apoio à Pesquisa e Extensão de São José do Rio Preto): A Fundação tem por objetivo o estímulo à pesquisa e experimentações científicas, tecnológicas e culturais, visando sua aplicação em favor do desenvolvimento de São José do Rio Preto e Região.

 


3.FAPESE (Fundação de Apoio à Pesquisa e Extensão de Sergipe): Tem por finalidade apoiar, promover, executar e subsidiar programas e atividades da UFS e de outras Instituições de Sergipe, consideradas relevantes para o desenvolvimento científico, tecnológico, econômico e social do Estado.

 


4.FAPEX (Fundação de Apoio à Pesquisa e à Extensão): É uma instituição de Direito Privado, sem fins lucrativos, que tem a missão de apoiar as atividades de ensino, Pesquisa e Extensão desenvolvidas prioritariamente pela UFBA ou por qualquer outra Instituição de Ensino Superior, legalmente reconhecida ou em processo de reconhecimento pelo Ministério da Educação.

 


5.FUNDAG (Fundação de Apoio à Pesquisa Agrícola): Apoia o desenvolvimento científico, tecnológico e as atividades de ensino nas áreas agrícola, da agroindústria e do meio ambiente.

 

6.FAPEU (Fundação de Amparo à Pesquisa e Extensão Universitária): Empresa privada, sem fins lucrativos, instituída pela Universidade Federal de Santa Catarina para apoiá-la no desenvolvimento das atividades de Ensino, Pesquisa e Extensão Universitária.

 


7.FADESP (Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa): Atua como fundação de apoio às ações da Universidade Federal do Pará- UFPa, nas áreas de pesquisa, ensino e extensão, tem consolidado ao longo dos anos seu papel de interface junto às agências nacionais e internacionais de financiamento e fomento à pesquisa, bem como junto às empresas e organismos privados e públicos, desde o levantamento de oportunidades ao gerenciamento integral dos recursos.

 


8.FUNDAPE (Fundação de Apoio e Desenvolvimento ao Ensino, Pesquisa e Extensão Universitária no Acre): FUNDAPE é uma instituição jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, com sede e foro no Campus Universitário, na cidade de Rio Branco - Acre, constituída no âmbito da Universidade Federal do Acre ? UFAC, com a finalidade de estimular e promover o desenvolvimento do ensino, da pesquisa e extensão universitária no Estado do Acre.

 


Fundações Federais:

1.FBB (Fundação Banco do Brasil): Objetiva contribuir para o desenvolvimento social do País, com especial atenção ao campo da educação. No âmbito da Ciência e Tecnologia, promove pesquisas, difusão de conhecimento e transferência de tecnologias aplicadas ao desenvolvimento social.


2.CAPES (Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior): Entidade pública vinculada ao MEC, instituída como Fundação em 1992. Tem o objetivo principal de subsidiar o MEC na formulação das políticas de pós-graduação, coordenando e estimulando - mediante a concessão de bolsas de estudo, auxílios e outros mecanismos - a formação de recursos humanos altamente qualificados para a docência em grau superior, a pesquisa e o atendimento da demanda profissional dos setores públicos e privados.

 

Fundações Estaduais:

1.FAPEAL (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas): Exerce atividades de fomento e indução tecnológica, além de ser gestora do Ponto de Presença (PoP) da Rede Nacional de Pesquisa (RNP), que liga pioneiramente o Estado de Alagoas à Internet, oferecendo serviço de conectividade à comunidade científica, instituições governamentais e ONGs. Viabiliza Projetos de Pesquisas Induzidos que priorizam áreas estratégicas para o desenvolvimento do Estado, além da realização do Programa Pró-Ciências.

 


2.FAPESB (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia): A instituição está vinculada a SECTI (Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado da Bahia) e opera com recursos do Tesouro do Estado concedendo apoio financeiro e técnico a projetos institucionais que objetivem melhorar, ampliar e consolidar a competência técnico-científica no âmbito das universidades, centros de pesquisas e empresas.

 


3.FUNCAP (Fundação Cearense de Amparo à Pesquisa): Criada em 1991, está vinculada à SECITECE, tem por finalidade estimular o desenvolvimento científico e tecnológico do Estado, através do incentivo e fomento à pesquisa, à formação e capacitação de recursos humanos, à geração e desenvolvimento de tecnologia e à difusão dos conhecimentos científicos e técnicos.

 

4.FAPDF (Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal): Desde a sua implementação em 1993, atua como sustentáculo do Sistema de Ciência e Tecnologia do Governo do Distrito Federal, fomentando a pesquisa e a realização de eventos científicos e tecnológicos. Tem como objetivo estimular, apoiar e promover o desenvolvimento científico e tecnológico, visando ao bem-estar da população, a defesa do meio ambiente, o progresso da ciência e tecnologia e o desenvolvimento sócio-econômico do Distrito Federal.

 

5.FAPEMAT (Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de Mato Grosso): Tem como missão institucional apoiar e incentivar o desenvolvimento da pesquisa científica e tecnológica, em prol do progresso científico, técnico, econômico e social de Mato Grosso, criando uma política estadual de Ciência e Tecnologia, baseada nos princípios constitucionais do bem estar da população.

 


6.FUNDECT (Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado do Mato Grosso do Sul): Criada em 1998, tem por finalidade o amparo ao ensino, à ciência e à tecnologia do Estado do Mato Grosso do Sul.

 


7.FAPEMIG (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais): Criada em 1985, pretende complementar a ação das agências federais no Estado de Minas Gerais. Tem a finalidade de promover atividades de fomento, apoio e incentivo à pesquisa científica e tecnológica no Estado, mediante custeio ou financiamento de projetos de pesquisa nos vários campos da ciência e tecnologia, bem como promoção e apoio à capacitação de recursos humanos.

 


8.FAPESQ (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Paraíba): Fomenta programas e projetos institucionais de pesquisas e desenvolvimento, julgados relevantes por seus órgãos competentes e segundo determinação do Conselho Estadual de Ciência e Tecnologia, definidos no Plano Estadual de Ciência e Tecnologia. Acompanha e avalia os programas e projetos financiados e toma as providências necessárias de ajustes, realização ou suspensão dos mesmos.

 

9.FAPESC (Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina): Define políticas, diretrizes e estratégias que tenham o respaldo e o apoio da sociedade catarinense. Tais requisitos básicos estão sendo atendidos pelo Estado e, em especial, pela Administração da FAPESC, em conjunto com seu Conselho Superior.

 


10.Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Paraná: A Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Paraná é uma entidade de direito privado que ampara a pesquisa científica e tecnológica e a formação de recursos humanos do Estado do Paraná. Seus recursos financeiros têm origem no Fundo Paraná, que destina 2% da receita tributária do Estado ao desenvolvimento científico e tecnológico. Desse percentual, até 30% são destinados à Fundação.

 


11.FACEPE (Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco): Órgão de fomento à ciência e tecnologia vinculado à SECTMA, cujo objetivo básico é promover o desenvolvimento científico e tecnológico do Estado, mantendo estreita sintonia com o atendimento a suas necessidades sócio-econômicas.

 


12.FAPEPI (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí): Tem por objetivo estimular o desenvolvimento científico e tecnológico do Estado, propiciar a locação de recursos para o desenvolvimento de pesquisas e garantir a geração e difusão de conhecimentos científicos e tecnológicos mediante apoio à capacitação de recursos humanos e realização de eventos.

 


13.FAPERJ (Fundação Carlos Chagas de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro): Criada em junho de 1980 e reestruturada em 1989 tem como objetivos: promover, financiar e apoiar programas e projetos de pesquisa individuais ou institucionais, bem como colaborar, inclusive financeiramente, no reforço, modernização e criação da infra-estrutura necessária para o desenvolvimento de projetos de pesquisas realizados em instituições públicas ou privadas no Estado do Rio de Janeiro, com ou sem retorno financeiro, entre outros.

 


14.FAPERGS (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul): Criada em 1964, é a agência de fomento ao desenvolvimento científico e tecnológico do Estado do Rio Grande do Sul, vinculada à SCT. Apóia projetos de pesquisa científica e tecnológica apresentados por pesquisadores de todas as áreas do conhecimento vinculados aos centros de pesquisa e universidades localizados no Estado.

 


15.FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo): Apóia todas as áreas da Ciência e da Tecnologia, por meio da concessão de bolsas e de auxílios a projetos de pesquisa e a outras atividades ligadas à investigação e ao intercâmbio científicos, contribuindo decisivamente para a expansão e o fortalecimento da pesquisa científica e tecnológica no Estado de São Paulo, com grande impacto sobre seu desenvolvimento econômico, social e cultural.

 

16.FAP-SE (Fundação de Amparo à Pesquisa de Sergipe): Criada em 1999, é uma entidade integrante da Administração Indireta do Poder Executivo Estadual, vinculada à Secretaria de Estado do Planejamento e da Ciência e Tecnologia (SEPLANTEC). Tem por missão formular, coordenar e fomentar, a partir das necessidades socioeconômicas, a política de desenvolvimento tecnológico e científico de Sergipe, por meio de recursos do Fundo Estadual para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Estado (FUNTEC) e de recursos externos.

 

17.FAPERN (Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Norte)

18.FAPEMA (Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Estado do Maranhão): Instituída em janeiro de 2003 e está vinculada a Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia, Ensino Superior e Desenvolvimento Tecnológico (SECTEC), com personalidade jurídica de direito público, duração indeterminada, com sede e foro na capital do Estado do Maranhão, a FAPEMA tem a finalidade de promover o desenvolvimento científico e tecnológico, através do financiamento de pesquisas e de atividades voltadas para a inovação tecnológica desenvolvida pelas comunidades científicas.

 

19.FAPEAM (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazônas): Tem como missão possibilitar o aumento da produção do conhecimento científico e tecnológico, bem como sua aplicação, no interesse do desenvolvimento econômico e social, contribuindo para a sustentabilidade e para o futuro das populações que vivem no Estado do Amazonas.

 

20.SECTAM (Secretaria Executiva de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente): Criada em 11 de maio de 1988, dentre suas atribuições, está o incentivo ao uso de tecnologias adequadas ao desenvolvimento sustentável, associando a preservação dos recursos naturais à melhoria da qualidade de vida das populações. Desde dezembro de 1995, o Pará dispõe do Fundo Estadual de Ciência e Tecnologia (FUNTEC), destinado a fomentar pesquisas e formar recursos humanos, nas áreas científicas e tecnológicas.

 

21.FAPEP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Paraíba): É um orgão de direito público, vinculado à Secretaria de Indústria, Comércio, Turismo, Ciência e Tecnologia do Estado da Paraíba, que tem como missão promover o desenvolvimento tecnológico e inovador, atuando de maneira que este complexo passe a ser visto como um elemento estruturante do desenvolvimento da Paraíba.

 


22.FUNPEC (Fundação Norte Rio-Grandense de Pesquisa e Cultura): Fundada em 1978, a FUNPEC é uma Instituição de Direito Privado sem fins lucrativos. Tem como principais objetivos a realização de pesquisas nos mais diversos ramos, para a prestação de serviços de consultoria, assessoria e capacitação técnica para empresas públicas e privadas. Através destes serviços, a funpec promove o desenvolvimento científico do estado e realiza um intercâmbio de conhecimento entre a comunidade e a UFRN.

 


23.FAPES (Fundação de Apoio à Ciência e Tecnologia do Espírito Santo): A Fundação de Apoio à Ciência e Tecnologia do Espírito Santo – FAPES, tem como missão prestar apoio financeiro a projetos que promovam o desenvolvimento científico e tecnológico do Estado do Espírito Santo. Sua atuação é efetivada por meio de ações indutoras e do atendimento à demanda espontânea de pesquisadores autônomos ou de instituições de pesquisa.

 

■Incentivos Fiscais de Governos Estaduais:

 

1.INFORMÁTICA - Programa de Informática, Eletrônica e Comunicação (BA): Os principais incentivos oferecidos são: a) Diferimento no lançamento do ICMS, para a saída do produto, na importação de componentes, partes e peças para fabricação de produtos de informática, eletrônica e telecomunicação para empresas situadas no Distrito Industrial de Ilhéus; b) crédito fiscal de 100% do ICMS destacado na venda do produto; c) crédito fiscal de 5% do ICMS para estabelecimentos comerciais, na saída interna desses produtos; d) redução de carga tributária para 7% do ICMS nas operações de saída para “hardwares” e “softwares.

 

2.GOIÁSFOMENTO - Agência de Fomento de Goiás S/A (GO): Agência estadual voltada contribuição e aceleração do desenvolvimento sustentável. Promove estudos, pesquisas e projetos técnicos de novas oportunidades; promoção e divulgação junto a investidores potenciais; concessão de financiamentos e empréstimos; participação acionária; prestação de garantias ? fundos de aval; prestação de serviços de assessoria e consultoria; prestação de serviços e participação em programas de desenvolvimento e modernização tecnológica e assistência técnica e financeira às micro e pequenas empresas.

 


3.FUNMINERAL - Fundo de Fomento à Mineração (GO): Tem por objetivos fomentar as atividades de prospecção e pesquisa mineral; aproveitamento das jazidas; industrialização de bens minerais; geração e difusão de tecnologias de prospecção, pesquisa, lavra, beneficiamento e industrialização de bens minerais; financiamentos de projetos e empreendimentos de prospecção, pesquisa, lavra e industrialização de bens minerais; participação societária em empresas objetivando a alavancagem de empreendimentos de mineração.

 


4.Governo do Estado do Paraná: Oferece incentivo adicional aos gastos em pesquisa e desenvolvimento. Este incentivo oferece dedução de 100% dos gastos na proporção de 1/12 ao mês para estabelecimentos que apenas realizarem gastos com P&D. A carência varia de 12 a 24 meses e o vencimento entre o 49º e o 96º mês.

 

5.FUNDES - Fundo de Desenvolvimento Econômico e Social (RJ): Instrumento utilizado para apoiar, financeiramente, as empresas interessadas em investir no Rio. Opera com juros e prazos de carência e de amortização bastante atrativos. Os incentivos apoiam programas estruturantes, básicos e setoriais, além de programas destinados a corrigir distorções distributivas nas regiões do Estado.
Visa a melhoria de Infra-Estrutura técnico-científico dos cursos de pós-graduação da universidade do Estado do Rio de Janeiro.

 


6.PAEP - Programa de Apoio às Entidades de Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro: Visa a melhoria de Infra-Estrutura técnico-científico dos cursos de pós-graduação das universidades do Estado do Rio de Janeiro.

 


7.FUNDOPEM - Fundo Operação e Empresa (RS): Objetiva apoiar investimentos em empreendimentos industriais que visem ao desenvolvimento sócio-econômico integrado do Estado. Dentre suas ações, apoia empreendimentos que promovam a incorporação de avanços tecnológicos do processo ou do produto e a melhoria na qualidade do meio ambiente.

 


8.Programa Fundo de Aval (SP): Conduzido pela Secretaria da Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico - SCTDE, com a parceria do SEBRAE, NOSSA CAIXA NOSSO BANCO e da Secretaria da Fazenda, facultará, ao pequeno empresário, acesso a linhas específicas de crédito, ainda que esse não possa oferecer as garantias de praxe, normalmente exigidas pelos agentes financeiros em operações normais de empréstimos.

Endereço: UFSC - Campus Reitor João David Ferreira Lima - Bairro Trindade - Florianópolis - Santa Catarina - Brasil
CEP 88040-970 - Caixa Postal 5153 - Tel: (48)3331-7400. Fax: (48)3234 0581. contato@fapeu.org.br
CNPJ: 83.476.911/0001-17 - Inscrição Estadual: ISENTO - Inscrição Municipal: 61.274-0
Copyright© FAPEU - Todos os Direitos Reservados